Álbum de estreia de Storm Factory (Rui Maia e Giulia Gallina) é editado esta semana

Cultura & Entretenimento Portugueses na Europa Ver mais

O álbum de estreia do projeto Storm Factory, a ser editado na quinta-feira, junta os mundos ‘sonoros’ do músico e produtor português Rui Maia e da pianista italiana Giulia Gallina, a eletrónica das máquinas ao lado calmo do piano.

O que deveria ser um álbum a solo de Giulia Gallina (The Loafing Heroes), produzido por Rui Maia (X-Wife, Mirror People e GNR), acabou por tornar-se no primeiro trabalho de um novo projeto.

“Houve uma altura em que a Giulia estava interessada que eu produzisse um disco a solo dela, com este lado mais do piano. Eu já tinha esta ideia de fazer algo que envolvesse o piano com eletrónica, a eletrónica mais ambiental e cinematográfica, então lancei-lhe o desafio de fazermos um disco a meias que juntasse estes dois mundos, o lado do piano dela e das viagens que vai fazendo, com a minha eletrónica, com um traço mais experimental”, contou Rui Maia em entrevista à Lusa.

A ideia inicial do projeto, a forma como seria executada, “foi pensada”, mas o álbum “acabou por se compor a ele próprio”.

“As ideias foram aparecendo umas atrás das outras, sem grande pressão para [o álbum] ficar completo”, contou Rui Maia.

Tratou-se de um processo “muito fluído e sem grandes interrupções, todo feito à distância, via Net”.

Uma das primeiras coisas que Rui Maia e Giulia Gallina decidiram foi “gravar som ambiente”, com os registos feitos em Lisboa e Aveiro que incluíram nos temas.

“O álbum tem um lado da Natureza, um lado bastante aquático, tem muita água, mas também tem muito 'industrial' e muito ruído, muito ambiente que foi mesmo gravado, como eu a mexer em folhas ou a bater em latas e coisas do género”, descreveu.

O resultado final justifica o título que decidiram dar ao projeto: Storm Factory (Fábrica de Tempestade, numa tradução livre).

Rui Maia considera também que o álbum “representa bem” os dois elementos do projeto. “Tem o lado calmo do piano da Giulia com o meu lado mais das máquinas, dos sintetizadores. Penso que está bem equilibrado, o disco, e que funciona como um todo, as músicas acabam por fluir umas nas outras”, disse.

Para já, ainda não têm espetáculos marcados, mas têm ensaiado juntos.

Últimas Notícias
Fundação da Guarda abre concurso literário às comunidades
6/06/2024
Orquestra europeia atuou na Alemanha com nove portugueses
6/06/2024
Portugueses da Alemanha comemoraram 10 de Junho em Berlim e Düsseldorf
6/06/2024
Portugueses já festejaram o 10 de Junho em Bruxelas
6/06/2024
Europeias: só precisa do Cartão de Cidadão para votar cá fora
6/06/2024
Emigração de portugueses para Itália está a bater recordes
6/06/2024
Paulo Pisco assinala Dia das Comunidades em Paris e Marselha
6/06/2024
Médica portuguesa distinguida por progressos na luta contra o cancro
6/06/2024