O respeito pela nossa língua

Opinião Ver mais

Eduardo Costa *

Num aeroporto de Paris, uma senhora portuguesa de meia idade, dizia a um funcionário francês no momento de transposição das bagagens de mão: “eu falo português e quero que me explique o que se passa!” Perante a insistência do funcionário que lhe falava em francês, a senhora continuou a protestar sobre o facto do funcionário não a entender.
Em boa verdade, sendo Paris a segunda cidade do mundo com maior número de portugueses a viver, a maior comunidade de estrangeiros em Franca, a esta senhora assistiria o direito à indignação, que manifestava.
Aliás, o português está entre as seis línguas mais faladas no mundo. Seria de toda a justeza que o português fosse uma língua mais respeitada. Nem em organizações mundiais a nossa língua é uma das oficiais. Quando o são outras de menor dimensão, como o francês ou o russo. 
As mais das vezes, em fóruns de instituições internacionais, os nossos próprios governantes veem-se na obrigação de falar em inglês, ou em francês, ou em espanhol. 
A defesa da língua portuguesa como ‘oficial’ nas instituições internacionais, como as Nações Unidas, por exemplo, devia merecer o nosso empenho. O próprio Secretário-Geral desta instituição é português! Pelo menos, seria uma questão de justiça pelo reconhecimento da nossa língua como uma das mais faladas do mundo. São cerca de 250 milhões de falantes. Com perspetiva de chegar a 350 milhões em 2050. 
O protesto daquela senhora bem que podia ser o nosso. Temos 250 milhões de razões para isso! 

  * jornalista, presidente da Associação  Nacional da Imprensa Regional 
 

Últimas Notícias
Conheça o programa dos 106 anos da Batalha de La Lys
3/04/2024
Conselheira das comunidades homenageada na Venezuela
3/04/2024
Associação que promove a língua portuguesa em Munique comemora 30 anos
3/04/2024
Santuário de Fátima na Venezuela e comunidade portuguesa recebem elogios
3/04/2024
Professor português em Manchester explica o “atraso português”
3/04/2024
Canadá: Semana de Portugal vai durar quase dois meses
3/04/2024
Venezuela: tradições portuguesas de Páscoa continuam vivas… mas caras
3/04/2024
Emigrante português lança livro sobre situação política e social em França
3/04/2024